Feriado Municipal

A 26 de Setembro de 1895, por decreto do Governo, era extinto o concelho do Cadaval e as então nove freguesias (Painho só mais tarde passa a freguesia) que o compunham, anexadas aos quatro concelhos limítrofes: Alenquer, Azambuja, Óbidos e Rio Maior.

 

Ao concelho de Alenquer couberam as freguesias de Cadaval e Vilar; ao concelho de Azambuja acoplaram-se as freguesias de Cercal, Lamas e Peral; ao de Óbidos foram unidas as freguesias de Pêro Moniz e Vermelha; e ao concelho de Rio Maior atribuíram-se as freguesias de Alguber e Figueiros (que incluía Painho).

O Povo manifestou-se contra a extinção do concelho e foi formada uma comissão para a sua restauração.

Após muitas disputas, algumas acções populares e diversos actos políticos, o concelho do Cadaval foi finalmente restabelecido a 13 de Janeiro de 1898.

A última década do século XIX constitui, portanto, um período marcante na história do concelho do Cadaval já que, em apenas três anos, o município do Cadaval viu-se desfeito e restaurado, com todas as freguesias que antes lhe pertenciam.


FONTE: "Cadaval: contributos para o estudo da memória de um concelho", 1995
Paulo Ferreira da Costa e Helena Sanches Galante




  • Siga-nos

Topo / Top
  •   Menu acessível
  • Promotor Oeste Portugal
  •   Oeste CIM
  • Co-financiamento Compete
  •   QREN
  •   União Europeia
Powered by Powered by U-LINK
© 2006 - 2017 Município do Cadaval - Todos os Direitos Reservados.