Numa iniciativa da Delegação do Cadaval da Cruz Vermelha Portuguesa

Pera Rocha é tema de exposição solidária no Cadaval

12-10-2017
Pera Rocha é tema de exposição solidária no Cadaval
Visitantes, no dia de abertura oficial da mostra [+] Fotos
“A Rocha que virou pera” é o título da exposição fotográfica solidária, patente até 28 outubro na Biblioteca Municipal do Cadaval, com trabalhos da autoria de Hugo Tavares e Miguel Tiago, passíveis de ser adquiridos. Trata-se de uma iniciativa da Delegação do Cadaval da Cruz Vermelha, a reverter, integralmente, para o respetivo trabalho social. Visite!

Perto de 60 trabalhos em fotografia (do total das 70 fotos constituintes do espólio) estão expostos nas instalações da Biblioteca Municipal do Cadaval, abordando o tema da agricultura, mais precisamente a cultura da pera Rocha, ex-libris da economia local.

A autoria das imagens pertence à dupla “Rephlexus”, constituída por Hugo Tavares e Miguel Tiago, num desafio, lançado pela Delegação do Cadaval da Cruz Vermelha Portuguesa, de retratarem, através da objetiva, a pera Rocha e toda a dinâmica socioeconómica em torno do icónico fruto, designadamente no concelho do Cadaval, mas também no Bombarral, que foi outro dos concelhos fotografados, para além de Torres Vedras (Maxial).

Na abertura da mostra, ocorrida no passado dia 5 de outubro, João Filipe Reis, presidente da CVP Cadaval, agradeceu a presença do público e o permanente apoio da Câmara Municipal, ali representada pelo vereador Ricardo Pinteus. «Sempre que temos iniciativas, a Câmara disponibiliza espaços e dá o apoio possível, e portanto tem sido um parceiro fundamental», salientou, referindo ainda os protocolos firmados entre as duas entidades.

O dirigente da delegação mostrou-se também agradecido à Biblioteca Municipal, representada por Tânia Camilo, bem como aos voluntários da CVP Cadaval, onde se incluem os respetivos diretores que, segundo João Reis, «estão sempre na primeira linha do voluntariado».

Os agradecimentos estenderam-se às entidades particulares «que se disponibilizaram para deixar fotografar os seus espaços», concretamente: Cooperativa Agrícola do Bombarral, Sociedade Agrícola da Persa (Maxial), Central de Frutas do Painho e ainda a José Bernardo Nunes (neste caso, enquanto produtor agrícola).

A CVP Cadaval mostrou-se igualmente reconhecida às cooperativas e centrais fruteiras que se juntaram ao projeto, disponibilizando fruta para a exposição. «Entendemos que era importante mostrar o produto final», explicou João Reis, na ocasião, deixando assim agradecimentos às entidades: Coopval – Cooperativa Agrícola dos Fruticultores do Cadaval, Frutus – Estação Fruteira de Montejunto, a CPF – Centro de Produção e Comercialização Hortofrutícola, Cooperativa Agrícola do Bombarral e Central de Frutas do Painho. Agradeceu ainda à Associação Nacional de Produtores de Pera Rocha, pela disponibilização de dados históricos acerca da pera Rocha.

«Finalmente, mas naturalmente com destaque especial, agradeço aos fotógrafos Hugo Tavares e Miguel Tiago, que foram os mentores deste projeto, em conjunto com o Cláudio Neves», afirmou.

O dirigente da CVP Cadaval explicou ainda que este projeto visa ajudar a delegação, através da venda das fotos, seja em formato físico seja em formato digital.

 

Condições para aquisição das fotos expostas

As fotografias em exposição, no tamanho em que estão expostas, custam 15 euros, cada uma. «Quem a comprar, tem também direito ao formato digital, numa fotografia de alta resolução para utilizar como entender», esclareceu. «Temos à venda as mesmas fotografias só em formato digital, apenas por três euros cada, que enviamos por e-mail a quem quiser comprar, e temos ainda o pacote das 70 fotografias em formato digital, por 50 euros», concluiu.

 

Ricardo Pinteus, vereador municipal, considerou «muito pertinente» o facto de a exposição acontecer no concelho do Cadaval. «Somos o maior produtor nacional de pera Rocha, temos a maior fruteira cooperativa do país e, além disso, ainda temos mais duas centrais fruteiras», justificou.

 

«Queria fazer aqui um agradecimento especial à CVP e a toda a sua equipa, não só por esta exposição mas por todo o trabalho cultural que têm feito no nosso concelho, ajudando a enriquecer a cultura local», acrescentou o edil.

 

Cláudio Neves, vice-presidente da delegação e responsável pela área dos eventos, destacou a importância do trabalho em equipa na organização das iniciativas. «Para ajudar os mais necessitados, precisamos de fundos, e procuramos sempre inventar novos eventos, coisas que possam realmente trazer algo de interessante também para o concelho, que façam as pessoas sair de casa e tirar um pouco do seu tempo para ajudar e, com isso, levarem também algo consigo», explicou.

 

«À conversa com o Hugo Tavares, lembrámo-nos de retratar a pera Rocha, um produto da nossa região, que merece todo o destaque que nós lhe queremos dar com esta exposição», disse. Elogiou, ainda, o apoio concedido pela dupla de fotógrafos em prol da instituição, «fazendo o que tão bem sabem fazer».

 

Grupo Rephlexus: Fotografia com fins beneméritos


Hugo Tavares explicou aos presentes a origem do grupo “Rephlexus”, criado há dois anos por dois amigos amantes de fotografia. «O que fazemos, por gosto e vocação, é identificar instituições e apresentar-lhes projetos, que passam sempre pela fotografia», afirmou. O fotógrafo explicou que, com base nessa recolha fotográfica, são realizados eventos beneméritos (exposições, livros, etc.) de apoio a essas instituições.

 

Hugo Tavares agradeceu à delegação cadavalense da CVP pela iniciativa, expressando «honra e orgulho» por poderem participar neste projeto. «De certa forma, sentimo-lo sempre como um pouco do nosso contributo para uma instituição que muito tem feito de apoio social em áreas onde, muitas vezes, o Estado não consegue chegar», concluiu.

 

Miguel Tiago quis também agradecer a oportunidade de participar neste trabalho, por lhes ter permitido aprender acerca da dinâmica local da pera Rocha. O autor salientou ainda a importância das pessoas que os acompanharam e que prestaram o necessário apoio.

 

Posto isto, resta relembrar que tem até dia 28 de outubro, no horário de funcionamento da Biblioteca Municipal do Cadaval (segunda a sexta, 08h30-17h30), a possibilidade de visitar a peculiar mostra. Poderá obter mais informações contactando a CVP Cadaval pelo e-mail cvpcadaval@outlook.pt ou pelo telefone 262 083 536.

 

Visite e, se puder, ajude a CVP a ajudar!

 

Fotorreportagem municipal da inauguração da exposição 
Fonte: S.Com | CMC



  • Siga-nos

Topo / Top
  •   Menu acessível
  • Promotor Oeste Portugal
  •   Oeste CIM
  • Co-financiamento Compete
  •   QREN
  •   União Europeia
Powered by Powered by U-LINK
© 2006 - 2017 Município do Cadaval - Todos os Direitos Reservados.