O certame solidário reúne 15 propostas musicais, a par de “street food”

Cruz Vermelha do Cadaval promove 6.º Festival de Tributos, com “street food”

12-04-2019
Cruz Vermelha do Cadaval promove 6.º Festival de Tributos, com “street food”
Cartaz oficial disponível ao fundo da notícia
A Delegação da Cruz Vermelha do Cadaval organiza, nos dias 3, 4, 10 e 11 de maio, no Pavilhão João Corrêa, o 6.º Festival de Tributos, com um cartaz que propõe onze bandas-tributo, a par de quatro momentos acústicos e cinco carrinhas de “street food”. Após um hiato de quatro anos, a delegação recupera este evento musical solidário, trazendo novidades e revelando vontade de lhe conferir dimensão nacional.

O “6.º Festival de Tributos” da Delegação do Cadaval da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP Cadaval) regressa no próximo dia 3 de maio (sexta-feira), noite em que atuarão The Fly (Tributo a U2), Bulls On Parade (Tributo a Rage Against The Machine) e Follow The Leader (Tributo a Korn). A anteceder a noite de tributos, no palco acústico, atuará Zé Costa.

 

Dia 4 (sábado), é a vez de The Poor Boys Revival (Tributo a Creedence Clearwater Revival), Alive (Tributo a Pearl Jam) e Anavrin (Tributo a Nirvana). No palco acústico, a animação musical estará a cargo de Laura Varges.

 

No segundo fim de semana, estarão, dia 10 (sexta-feira), os Green Play (Tributo a Green Day), seguidos de Kind of Queen (Tributo a Queen). A oferta musical contemplará Golden Wine no palco acústico.

 

Para dia 11, o cartaz inclui Nightdream (Tributo a Nightwish), Heavy Link (Tributo a Linkin Park) e Significant Bizkit (Tributo a Limp Bizkit). Simão Quintans é o nome previsto para o palco acústico, nesta última noite.

 

A CVP Cadaval realça que as entradas serão gratuitas até às 21h00, passando a três euros por pessoa após aquela hora.

 

 
«Gostaríamos muito de dar a este evento uma dimensão nacional»

 

 

Cláudio Neves, porta-voz do festival e membro da direção da CVP Cadaval, desvenda, na entrevista que se segue, um pouco do que será este certame e o seu principal intuito.

 

 

O que muda, este ano, no Festival de Tributos?
Muda, antes de mais, a época, contrariamente às outras edições, que se realizaram no inverno. Pensámos em aproveitar a primavera, já com cheirinho a verão, para esta nova temporada de tributos. Acreditamos que o público está mais favorável a sair à rua, e as noites estarão mais convidativas para o formato do evento.
Queremos pensar alto e acreditar que este evento pode tornar-se o festival de música do Oeste.
Este ano, iremos também ter jantares com carros de street food de alta qualidade, que irão estar toda a noite a servir comida.
Entre as 21 e as 23h, antes do palco dos tributos iniciar, irão estar, durante as quatro noites, músicos locais a animar os presentes em formato acústico, no palco junto ao street food.

 

Por que motivo parou a iniciativa, em 2015?
Realizámos cinco festivais de tributos e julgo que, com isso, impulsionámos os tributos em Portugal. Este festival já era falado de norte a sul do país. No entanto, as condições existentes na altura não eram as melhores, nem a época em que os realizámos.
Achámos sensato fazer um intervalo, pensar em novas abordagens, numa nova época, voltando assim em força para reconquistar o público em geral.

 

Quais os objetivos deste evento?
A Delegação do Cadaval da Cruz Vermelha Portuguesa está com uma equipa de emergência em crescimento. Cada vez somos mais requisitados para serviços de transporte e de apoio, logo, surge a necessidade de acrescentarmos uma ambulância à nossa frota, para assim estarmos mais bem preparados e mais aptos para novos desafios. Os possíveis lucros deste evento destinam-se à aquisição da dita ambulância.

 

É um evento pensado para que tipo de público?
Gostaríamos muito de dar a este evento uma dimensão nacional, pois acreditamos ter tudo para isso. A divulgação e o marketing têm, claramente, um papel fundamental, podendo fazer toda a diferença; esta é a nossa maior dificuldade – chegar às massas, fazer chegar a informação ao maior número de pessoas possível, quer sejam de perto ou de longe.
O espaço é fabuloso; atualmente, tem excelentes condições acústicas e térmicas. As bandas são espetaculares e irão fazer a delícia dos fãs.
Tentamos ir de encontro a vários estilos musicais. Este evento pode dizer-se que está para qualquer faixa etária, pois muitos jovens de hoje cresceram a ouvir estas bandas com os pais.
Este é um evento do Oeste para o Oeste.

 

Podemos dizer que a CVP Cadaval foi pioneira em Portugal na organização de um festival de tributos?
Em 2009, quando realizámos o primeiro festival, mal se ouvia falar em tributos; não eram muitas as bandas existentes. Sem falsas modéstias, acho que o nosso festival veio dar uma grande projeção a este conceito de bandas-tributo.

 

Porque é que o público não pode deixar de vir ao festival?
Primeiro, pela diversão, num ambiente de segurança, tranquilidade, descontração, podem vir jantar, ouvir boa música, beber um copo. E, acima de tudo, a importância da presença para ajudar a nossa delegação!
O orçamento deste evento é elevado, pelo que precisamos mesmo de uma adesão em peso, por parte do público em geral.
É também o público que irá eleger a melhor banda-tributo deste festival 2019! Sendo o prémio um valor monetário patrocinado pela “Lenovo – Computadores”. Haverá também muitas surpresas durante os quatro dias do evento.

 

Aceda aqui ao cartaz oficial do evento
Fonte: SCRP | CMC



  • Siga-nos

Topo / Top
  •   Menu acessível
  • Promotor Oeste Portugal
  •   Oeste CIM
  • Co-financiamento Compete
  •   QREN
  •   União Europeia
Powered by Powered by U-LINK
© 2006 - 2019 Município do Cadaval - Todos os Direitos Reservados.