A escrita é uma paixão antiga, que surge no Cadaval

Cadavalense Helena Silva lançou livro de poesia, na Biblioteca Municipal

30-10-2019
Cadavalense Helena Silva lançou livro de poesia, na Biblioteca Municipal
[+] Fotos
A Biblioteca Municipal do Cadaval recebeu, em outubro, o lançamento de “Noites Brancas”, livro de poesia da conterrânea Helena Soares Silva, ex-atleta e ex-funcionária pública. A autora divide a sua paixão entre Timor, nação que a viu nascer, e o Cadaval, concelho onde reside e onde se inspirou, em tenra idade, para a literatura.

O lançamento aconteceu, mais precisamente, na tarde de 12 de outubro, nas instalações da Biblioteca Municipal. O evento contou, para além de José Bernardo Nunes (presidente da CMC), com a participação de Daniel Braga, docente que declamou algumas das poesias da autora. A sua presença fica-se a dever ao facto de este ser um conterrâneo timorense de Helena, além de apreciador da sua obra.

 

A disponibilizar online na Amazon, "Noites Brancas" trata-se de um livro de poesia trazido a público através de edição de autor. «Foi escrito, em noites passadas em branco, nestes últimos anos, daí o seu título», refere a própria.

 

"Noites Brancas" está dividido em quatro partes, segundo avança a poetisa residente nos Casais do Peral (Peral, Cadaval). «A primeira parte é mais intimista, como se estivesse a ter uma conversa com uma folha de papel. A 2ª, intitulada de "Vidas", pretende retratar, de uma forma realista e sem complexos, a condição humana», explica Helena. «Desde a mulher que está a beira de uma estrada a vender o corpo àquela que é violentada e abusada. Do engraxador, que ainda se vai vendo na baixa lisboeta, ao estar, simplesmente, numa fila de trânsito num dia de chuva», acrescenta.

 

A autora cadavalense dá nota positiva ao lançamento ocorrido na Biblioteca Municipal do Cadaval. «Quero agradecer a todos os que estiveram envolvidos e contribuíram para que esse evento tivesse êxito», destaca.

 

Uma timorense de raízes cadavalenses

 

Apesar de ter nascido em Timor-Leste, as raízes de Helena Silva (da parte da mãe) são do Peral. «Fiz a minha primeira classe na escola primária do Peral e sempre passei as minhas férias (ou parte delas) entre o Peral e os Casais do Peral», conta, e é nesta altura, e nessas aldeias, que surge em si o amor pela prosa e poesia. «A serenidade, a paisagem e as gentes são uma fonte de inspiração. Tal como sinto uma ligação muito forte a Timor-Leste, o concelho do Cadaval está-me no sangue», sublinha a escritora.

 

Helena considera «complexo» definir um livro de poesia. «Muitas das palavras vêm de dentro, de uma dor, de uma projeção ou mesmo de uma ilusão. São as nossas vivências e também as dos outros», declara.

 

«Tentar explicar a poesia é torná-la trivial. O melhor que se pode fazer é experimentar os sentimentos que esta, a poesia, pode revelar a alguém que se sinta suficientemente aberto para a entender», defende a autora. «Por isso, não basta ler uma única vez. Há que reler, e, de cada vez, descobrir algo de novo. É isso que se pretende com as "Noites Brancas"; sensitivo e intimista, mas também com uma boa dose de humor», acrescenta.

 

Mas a vida literária de Helena Silva mantém-se bem ativa. A escritora encontra-se, no momento, em fase de edição de um livro de contos, enquanto escreve um romance e outro livro de poesia.

 

Nota biográfica de Helena Silva

 

Helena Soares Silva nasceu em Dili, Timor-Leste, no ano de 1962, e reside no concelho do Cadaval (Casais do Peral).

 

Foi atleta durante toda a sua juventude, tendo sofrido várias lesões que a viriam a condicionar. Dedicou-se à escrita desde muito cedo, mas só depois de se reformar da função pública viria a retomar esta sua forma de arte.

 

Depois de ter abraçado a poesia como uma paixão, participou em alguns concursos nos E.U.A., obtendo três distinções "Editor's Choice 2007", cujos textos seriam publicados na coletânea "Immortal Verses".

 

Em 2011, publicou o seu primeiro livro de poesia, intitulado "Do Outro Lado". Em 2012, segue-se "Véus/Veils" (em português e inglês), com poesia dedicada à Luta pelos Direitos da Mulher. Em 2013, publicou um e-book intitulado "O Voo de Íris" e a sua primeira novela, "Tobias e as Águas Claras".

 

Em 2019, publica outro e-book, "Os Crocodilos Têm Memória", conto dedicado à sua terra natal, Timor-Leste, bem como o livro de poesia "Noites Brancas".

 

Aceder a fotorreportagem do evento no Cadaval.
Fonte: SCRP | CMC



  • Siga-nos

Topo / Top
  •   Menu acessível
  • Promotor Oeste Portugal
  •   Oeste CIM
  • Co-financiamento Compete
  •   QREN
  •   União Europeia
Powered by Powered by U-LINK
© 2006 - 2019 Município do Cadaval - Todos os Direitos Reservados.