No intuito principal de incentivar a prossecução dos estudos

Município atribui bolsas de estudo a jovens universitários

16-07-2015
Município atribui bolsas de estudo a jovens universitários
Estimular a continuidade dos estudos e a formação superior é intuito do município, com a iniciativa
O Município do Cadaval efetuou, recentemente, a primeira atribuição de bolsas de estudo, para o ensino superior, a dois estudantes do concelho. A iniciativa visa anualmente incentivar a prossecução dos estudos, bem como promover a formação de quadros técnicos superiores.

A atribuição anual de bolsas de estudo, por parte da câmara, direciona-se a alunos cujo agregado familiar tenha residência no concelho e que ingressem em estabelecimentos de ensino superior no território nacional (ou os frequentem), com vista à obtenção do grau académico de licenciado.

 


A bolsa pretende incentivar o prosseguimento dos estudos pelos alunos com menores recursos económicos, propondo-se, ao mesmo tempo, ser um instrumento de promoção na formação de quadros técnicos superiores residentes na área geográfica do concelho.

 

Entre outros requisitos a cumprir, para poderem beneficiar, os estudantes terão de ter obtido aproveitamento escolar, ou seja, aprovação em pelo menos 80 por cento dos ECTS (créditos académicos) no ano letivo anterior à candidatura.

 

Tratando-se de uma prestação pecuniária, o montante máximo da bolsa, por aluno, é de quinhentos euros/ano, tendo como limite o valor inscrito anualmente no orçamento municipal. Por via de edital, a autarquia publicita o prazo de apresentação de candidaturas para cada ano escolar.

 

A duração da atribuição da bolsa não poderá, por princípio, exceder o número de anos definidos no plano curricular do curso. Excetuam-se as situações identificadas no regulamento, por seu turno disponível no site municipal (secção Documentos/Legislação municipal).

 

Os jovens universitários contemplados

 

Um dos beneficiários da bolsa, neste arranque da iniciativa, foi Hristiyan Rodrigues, jovem de 20 anos, residente no Avenal (Vilar, Cadaval) mas nascido em Sófia (Bulgária), estando a frequentar o curso de Economia na Universidade de Évora.

 

Relativamente à profissão ambicionada, Hristiyan refere tão-somente: «A que me fizer mais feliz na altura». Já quanto à bolsa atribuída, considera-a de importância «vital». «Por muita vontade que se tenha em prosseguir estudos, sem os meios financeiros necessários torna-se muito difícil», justifica.

 

Afirma gostar muito do Cadaval, por ter sido a terra onde cresceu e se formou. Daí que gostasse, no futuro, de poder ficar a residir no concelho ou na região.

 

Miriam Lopes tem 18 anos, reside na Sobrena (Peral, Cadaval), tendo nascido na Amadora, e está inscrita no curso de Mestrado Integrado de Engenharia Civil, no Instituto superior Técnico – Universidade de Lisboa.

 

As aspirações profissionais estão, também no caso de Miriam, por definir. «Não tenho nada muito preciso em mente, mas das diversas disciplinas da Engenharia Civil estou mais interessada na projeção de estruturas, portanto algo nessa área», adianta a jovem estudante.

 

Já no que toca à bolsa atribuída pelo município, considera-a uma ajuda importante no pagamento das propinas. Acha «apelativa» a ideia de um dia poder ficar a viver no concelho, visto ser cá que a família reside. «No entanto, não é muito provável que isso aconteça, devido à escassez de emprego na área em que me estou a formar», explica a aluna.
Fonte: SC | CMC



  • Siga-nos

Topo / Top
  •   Menu acessível
  • Promotor Oeste Portugal
  •   Oeste CIM
  • Co-financiamento Compete
  •   QREN
  •   União Europeia
Powered by Powered by U-LINK
© 2006 - 2020 Município do Cadaval - Todos os Direitos Reservados.